2006-07-12

ALPEDRINHA - CENSOS 2001

Infelizmente, seguindo a tendência dos últimos Censos, todos os indicadores populacionais caíram na última década, tendo a população residente na freguesia caído 12,5% nos últimos dez anos, verdadeiramente assustador! Com estes resultados, Alpedrinha acaba por cair uma posição no ranking do concelho do Fundão em relação aos Censos 1991, passando agora a ser a quarta freguesia em termos de população residente (1.179), depois de Fundão (8.934), Vale de Prazeres (1.507), Valverde (1.452) e Alcaria (1.270). Os resultados do concelho na sua globalidade também são preocupantes, tendo a população residente passado de 31.224 para 30.390, o que representa uma queda de 1%. Em termos nacionais a população residente passou a ser de 10.230.603, tendo-se verificado um aumento de 3,7%.

População Residente
1991: 1.348;
2001: 1.179 = Variação: -12,5%
P. R. Homens
1991: 646;
2001: 567 = Variação: -12,2%
P. R. Mulheres
1991: 702;
2001: 612 = Variação: -12,8%
Famílias
1991: 442;
2001: 410 = Variação: -7,2%
Alojamentos
1991: 797;
2001: 720 = Variação: -9,7%
Edifícios
1991: 690;
2001: 618 = Variação: -10,4%

Texto: Joaquim Ferreira
FONTE: Instituto Nacional de Estatística
Foto: FJP

7 comentários:

paula silva disse...

Isto dá que pensar!!!
Não há dúvida que temos aqui dados objectivos que obrigam a uma reflexão muito séria, crítica e corajosa para compreender as razões deste declínio e sobretudo para estudar a médio e longo prazo estratégias que consigam enraizar a população.
Se a longevidade é cada vez maior, das duas uma, ou a natalidade decresceu, o que não me parece o caso na nossa Vila, ou há de facto muita gente que decidiu deixar de viver na nossa terra. As razões, podemos aventar um sem número, mas a mais óbvia é que não temos condições económicas que possam gerar postos de trabalho que fixem as pessoas por Alpedrinha, ou não conseguimos atrair residentes, ainda que trabalhem noutros locais, mas que prefiram fixar residência na nossa terra.
Soluções?
Não somos mágicos, mas há que repensar muita coisa que possa aliciar investidores, desde que não poluentes... Há que questionar se tudo tem sido feito e se o que é feito tem surtido os melhores efeitos... Será necessário alterar estratégias de desenvolvimento, com união de esforços, e não com as eternas rivalidades, nem com soluções de treinadores de bancada, pois todos achamos ter o direito e o saber... mas sabemos que não é assim!
Não é fácil, mas estes dados exigem reflexão, e mostram a coragem que tens em divulgar uma realidade que nos dói a todos.
A discussão está lançada, e muito bem, com objectividade e clareza, venham agora as ideias exequíveis, depois de estudos sérios, planeamentos rigorosos e muita força de vontade unida, que algo se há-de conseguir... é só querermos todos construir, com transparência, humildade, garra e união de esforços no mesmo sentido!

Fernando,
Um Abraço

Grilinha disse...

Faz hoje 70 anos que começou a guerra civil em Espanha.
Recordo estórias vividas pelos meus avós e pelo meu pai que recebiam muitas muheres e crianças e alguns homens fugidos de Espanha.
Alpedrinha recebeu muitas familias que acabaram por ficar alguns anos mesmo depois da guerra acabar pois como se sabe o General Franco iniciou o seu "reinado" de ditadura após 1939.
Só me lembro de ver a Alpedrinha cheia de emigrantes e migrantes que no mês de Agosto se deslocavam lá para matar saudades da familia e da festa do Anjo da Guarda.
Com o passar do tempo o interior desertificou mas acho que se pode aproveitar as novas vias de comunicação para facilitar a escolha do interior para viver e trabalhar.
Com a descoberta do teu blog e do da Paula abriram-me mais o apetite para voltar a Alpedrinha este ano.
Já avisei cá ´em casa que a passagem é obrigatória e todos disseram que sim.
Um abraço para o autor do blog.
Fernanda Caldeira Grilo

Fernando Jorge Pires disse...

D. Fernanda Grilo:
Em primeiro lugar, queria agradecer-lhe as visitas participadas que faz ao meu blogue. São pessoas como a senhora que fazem com que este blogue continue a divulgar o que se vai passando em Alpedrinha. A razão deste existir é mesmo fazer com que quem é, ou tem raízes em Alpedrinha, se vá mantendo informada sobre o que de mais importante vai acontecendo nesta vila.
Volte sempre que queira e participe.
Obrigado mais uma vez.

JF disse...

Olá e parabéns pelo blog.
É sempre bom ter onde encontrar notícias e informação sobre a nossa terra, principalmente quando se está fora como é o meu caso.

O que não é nada bom é plagiar um texto já publicado à 5 anos noutro site e nem sequer mencionar a fonte (não, a fonte do texto não é o INE, apenas os resultados, preliminares, dos censos), não é Fernando Pires?
http://www.geocities.com/petratinia/historia.htm

Ainda bem que o plágio pelo menos serviu para que pelo menos duas pessoas tomassem consciência deste grave problema no qual ninguém parece estar interessado pois a sua solução extravasa claramente os ciclos de 4 anos eleitorais, logo, não dá votos...

Fernando Jorge Pires disse...

Caro "JF":

Em primeiro lugar, agradeço a sua participação neste blogue e queria dizer-lhe que o único objectivo deste é informar, principalmente os alpetrinienses que estão longe.

Em segundo lugar, quanto à questão do suposto plágio, por si levantado, informo que o texto não está assinado e tem como única fonte o INE. Ora assim sendo, suponho que o mesmo tenha sido retirado do INE, daí que não tenha colocado outra fonte.

Em terceiro lugar e como deverá ser a 1ªvez que comenta no meu blogue, devo informá-lo que não permito comentários anónimos ou com nick's que não identifiquem o autor. Como os assuntos tratados são todos relaccionados com Alpedrinha, as opinões devem ser emitidas por gente responsável e à altura desta vila candidata ao programa "Aldeias Históricas". Por isso nada custa assinar e assumir as responsabilidades do que se escreve. É fácil.

Espero que volte a comentar o meu blogue, mas por favor assine.

Cumprimentos.

JF disse...

Olá mais uma vez!

Eu não vim aqui deixar o meu comentário anterior para colher louros nem tão pouco entrar em polémicas, daí nem ter assinado o post por extenso, mas para que não restem dúvidas, JF são as iniciais de Joaquim Ferreira, eu próprio, que nunca tive medo de dar a cara, autor do 1º site sobre Alpedrinha, desde 1997 a mostrar um pouquinho da nossa terra ao mundo, de onde foi plagiado o texto em comentário.
Ó Fernando, desde quando cada página de um site tem de ser assinada individualmente?... Sem querer ofender, acho que não são necessários muitos neurónios para perceber que o INE não tece comentários, muito menos sobre a evolução da população de Alpedrinha...
Como já disse anteriormente, ainda bem que o texto serviu para que outros ficassem a conhecer os factos, só lamento que não tenha sido feita a tal menção da fonte.

Fica bem e continua a dar notícias da nossa terra, que quem está fora agradece.

Joaquim Ferreira.

Fernando Jorge Pires disse...

Sr. Joaquim Ferreira:
Em primeiro lugar quero felicitá-lo pelo facto de se ter identificado. Em Alpedrinha, não é habitual comentar o que quer que seja de forma responsável como o senhor o fez. Como deverá ser do seu conhecimento, em Alpedrinha usa-se o anonimato para se dizer as maiores barbaridades e acusar tudo e todos, de forma irresponsável. Daí que, fica a nota de o Sr. Joaquim Ferreira não pertencer ao lote dos anónimos irresponsáveis.
Quanto à questão principal, depois de pesquizar um pouco, resolvi dar o seu a seu dono e colocar o seu nome no post como autor do mesmo. Reconheço que houve uma falha nesta matéria. Mas, não é a única. Analisei todo o meu blogue e há mais. Nomeadamente fotos que estão publicadas e que não fui eu que as tirei. Por isso, no futuro, irei ter mais cuidado com este tipo de questões.
Sabe Sr. Ferreira, no princípio começa-se como que a brincar, com meia dúzia de visitas ao blogue por semana, e depois atinge-se um patamar de visitas que ronda já as 2.000 e aí deixa de ser a brincar e exige muito mais responsabilidade. É a evolução das coisas.
No entanto fica o pedido de desculpas e dou este tema por encerrado.
Aproveito ainda para o convidar a comentar mais postagens do meu blogue, ficando a promessa de continuar a informar os alpetrinienses, principalmente os que estão longe.

1 abraço alpetriniense.