2006-12-29

2006-12-24

FELIZ NATAL! BOAS FESTAS!


FELIZ NATAL

Votos de um Natal cheio de Saúde,

Paz, Amor, Felicidade e prendinhas,

para todos os alpetrinienses

e amigos de Alpedrinha

espalhados por esse mundo fora.

2006-12-21

APROVADO O ORÇAMENTO PARA 2007

Decorreu na passada segunda-feira, dia 18/12/2006, pelas 19 horas, no Salão do Edifício Sede da Junta de Freguesia, a Assembleia de Freguesia de Alpedrinha, com a seguinte ordem de trabalhos:

1 - Período antes da Ordem do Dia;

2 - Período da Ordem do Dia;
2.1 - Apreciação da informação escrita do Sr. Presidente da Junta de Freguesia acerca da actividade e situação financeira da Freguesia;
2.2 - Discussão e votação dos documentos provisionais para o ano de 2007;
Nesta reunião, foram discutidos os estatutos da associação Agenda Gardunha21, sendo aprovada por unanimidade a integração de Alpedrinha na mesma.
Outros temas abordados foram o acesso à A23, a colocação de uma caixa de sugestões públicas à JF, os danos que o mau tempo provocou nas vias de comunicação, as transferências de competências da CMF, o Orçamento da Receita e da Despesa e as Grandes Opções do Plano para o ano financeiro de 2007.
O orçamento e as grandes opções do plano para 2007 foram aprovadas com duas abstenções e as transferências de competências foram aprovadas por unanimidade.
No final foi dada a palavra ao público presente que, como vem sendo hábito, não compareceu em grande número. Apenas esteve presente 1 alpetriniense a assistir aos trabalhos, que diz bem da forma como os alpetrinienses têm vivido a questão autárquica.
Esta foi a última Assembleia de Freguesia de 2006 e como é hábito, a Junta de Freguesia promoveu um jantar de Natal, de convívio entre elementos de ambos os orgãos do poder local, que decorreu num estabelecimento de restauração alpetriniense.
Foto:FJP

2006-12-16

Em Alpedrinha já cheira a NATAL!



Em Alpedrinha, o Natal é vivido com muitas tradições. Gastronomia e religião estão bem presentes nos usos e costumes desta maravilhosa terra beirã, como em qualquer outra aldeia, vila ou cidade do interior. O que não é muito usual é ter a oportunidade de observar, de perto, vários presépios, de particulares e instituições, expostos ao longo da rua do centro histórico, a mesma onde em Setembro decorre o Festival dos Chocalhos.
Esta iniciativa já existe há alguns anos e repete-se novamente nesta quadra natalícia.
A inovação deste ano passa pela exposição de oito quadros, desenhados por um artista da terra de seu nome Lino, que ilustram várias passagens, desde a Anunciação a Maria, até à fuga da Sagrada Famíla para o Egipto.
O madeiro, outra das tradições, também já está colocado no Largo da Praça, onde irá ser aceso na noite do dia 24 de Dezembro.


2006-12-13

5º Fórum de Proximidade em Alpedrinha

Realiza-se no próximo dia 15 de Dezembro, pelas 21 horas, no Salão da Junta de Freguesia de Alpedrinha, o 5º Fórum de Proximidade promovido pela Agenda Gardunha21.
Este fórum é aberto a todos os que queiram participar e onde a opinião de cada um de nós conta.
Não deixe de comparecer e participar.
Para saber mais sobre a Agenda Gardunha 21, clique aqui.

Assembleia de Freguesia de Alpedrinha

Está marcada para o próximo dia 18 de Dezembro, a Assembleia de Freguesia, que terá lugar pelas 19:00, no Salão na Sede da Junta de Freguesia.

A ordem de trabalhos é a seguinte:

1- Período antes da Ordem do Dia;
2- Período da Ordem do Dia;
2.1- Apreciação da informação escrita do Sr. Presidente da Junta de Freguesia, acerca da actividade e situação financeira da freguesia;
2.2- Apreciação e votação dos documentos provisionais para o ano de 2007;

No final, como é costume, será dada a palavra ao público presente, que se espera que seja de grande número, o que não tem acontecido.

Foto: FJP

2006-12-04

ALPEDRINHA RECEBE O MESMO?

Free Image Hosting at www.ImageShack.us

Apesar do orçamento da Câmara Municipal do Fundão para 2007 sofrer um corte de 8 a 10% nas receitas provenientes do Estado, as freguesias deste concelho irão receber a mesma verba que em 2006. Embora se mantenha o mesmo patamar, as transferências de competências é que decidirão quais as freguesias que irão receberão mais. Tudo estará relaccionado com o pacote de transferências que as freguesias irão assinar.
Esta garantia foi dada, à comunicação social, no final da sessão pública da semana passada, pelo Presidente da Câmara Dr. Manuel Frexes, que aproveitou o momento para criticar o Governo pelos cortes orçamentais aos Municípios.
Certo é que, no meu ponto de vista, é legítimo ao mesmo fazê-lo.
Se o Governo corta no orçamento para as Câmaras, é legítimo que estas levantem a voz contra a diminuição das receitas. Mas, se ainda assim, garantem que as freguesias do seu concelho não vão sofrer qualquer redução consequente do corte orçamental do estado, então é-lhes dada autoridade moral para o fazerem de viva voz.
Este comportamento do Sr. Presidente da Câmara do Fundão é de louvar.
O mesmo não se pode invocar a outros Presidentes de Câmara, que por via do corte governamental, vão já dizendo que para 2007 irá haver reduções nos financiamentos para as suas freguesias. O caso mais gritante é o que se prevê para o nosso concelho vizinho da Covilhã.
Que o Sr. Presidente Carlos Pinto é um opositor ao governo do seu conterrâneo José Sócrates, já todos o sabemos. Que o mesmo critica fortemente o Primeiro Ministro e Ministro das Finanças pelo corte que irá sofrer no seu orçamento, também já nos demos conta. Mas com que moral o faz? Se ele próprio vai fazer o mesmo nas suas freguesias, como pode ele criticar o governo pelo mesmo exercício?
Ao contrário dele, o Dr. Manuel Frexes tem autoridade moral para o fazer. Segundo o mesmo, a Câmara irá cumprir os compromissos assumidos este ano no próximo orçamento e manter o mesmo financiamento às freguesias.
O Presidente da Câmara da Covulhã, faz-me lembrar certos empresários que, por não receberem dos seus clientes, utilizam estes próprios problemas de tesouraria para justificar a sua falta e argumentar os atrasos no cumprimento das suas obrigações aos seus fornecedores. Em suma, se não recebo também não posso pagar. Este é um princípio totalmente errado numa gestão eficiente e eficaz, que embora pareçam conceitos semelhantes são muito diferentes. Nem sempre o eficiente é eficaz.
É digno que esta ginástica financeira, da Câmara do Fundão, seja realçada.
Para responder à questão que faz de título nesta postagem, falta aguardar pela análise do pacote de transferências que a Câmara vai propor à Junta de Freguesia de Alpedrinha, para ficar decidida qual a verba que Alpedrinha irá receber do Município fundanense.

2006-11-30

MAU TEMPO NA REGIÃO

Chuva intensa e ventos fortes causaram vários estragos na região. Alpedrinha não fujiu à tempestade e também sofreu os efeitos do mau tempo.
Derrocadas e quedas de árvores aconteceram em grande número, chegando ao encerramento da estrada nacional nº18 entre Alpedrinha e Fundão durante a tarde de sexta-feira dia 24 de Novembro.
O trânsito fez-se com enorme dificuldade nas estradas da região, onde a existência de lençois de água constituiu um enorme perigo para os automobilistas.
Nesta semana a chuva ausentou-se, mas o mercúrio dos termómetros deceu bastante.
Foto: FJP

2006-11-20

Homenagem ao Cardeal D. Jorge da Costa


O início das celebrações do VI centenário do nascimento e falecimento do Cardeal D. Jorge da Costa irá decorrer no dia 23 de Novembro, na Igreja da Misericórdia de Alpedrinha. Espera-se a presença de altas figuras da Igreja Católica, do Vaticano, do Estado Português e da União das Misericórdias.
A cerimónia têm o seguinte programa:

10:30- Recepção aos convidados;
11:00- Sessão Solene de início das Comemorações na Igreja da Misericórdia - Interlúdio Musical pela Liga dos Amigos de Alpedrinha;
11:40- Apresentação da vida e obra de D. Jorge da Costa pelo Historiador Dr. Manuel Brás Venâncio;
12:00- Missa Solene na Igreja Matriz de Alpedrinha, solenizada pelo Coro Misto - Associação Cultural da Beira Interior;
A este evento de grande importância, além dos ilustres convidados, espera-se também a presença de muitos populares que não deixarão de homenagear este grande homem da terra.
Fonte:www.cm-fundao.pt
Foto: Casa do Cardeal (http://jfalpedrinha.no.sapo.pt)

2006-10-31

RECOLHA DE SANGUE EM ALPEDRINHA








O Instituto Português do Sangue, em colaboração com o Agrupamento de Escuteiros de Alpedrinha, vão promover uma recolha de sangue nesta vila histórica. Para dar sangue, basta deslocar-se ao Centro Paroquial de Alpedrinha, entre as 9 e as 13 horas do dia 11 de Novembro.

Podem dar sangue todas as pessoas que preencham os seguintes requisitos:
-Bom estado de saúde;
-Hábitos de vida saudáveis;
-Peso igual ou superior a 50 kg;
-Idade compreendida entre os 18 e os 65 anos;
-Para uma primeira dádiva o limite de idade é aos 60 anos.
Para esclarecimento de dúvidas e outras informações vá ao site do Instituto Português do Sangue.
Não esqueça que se puder realizar o acto heróico de dar sangue, não deixe de o fazer, porque "DAR SANGUE É DAR VIDA".

MAGUSTO DA JUNTA DE FREGUESIA

No próximo domingo, dia 5 de Novembro, realiza-se o tradicional MAGUSTO organizado pela Junta de Freguesia de Alpedrinha, que terá lugar no Largo da Praça Nova em frente à sede deste orgão autárquico. O convite foi já endereçado a toda a população que deverá acorrer em grande número.
A boa castanha assada e a excelente jeropiga não irão faltar neste evento de convívio entre alpetrinienses.

2006-10-30

HOMENAGEM AO CARDEAL DE ALPEDRINHA

O início das celebrações do VI centenário do nascimento e falecimento do Cardeal D. Jorge da Costa já tem data marcada. Será no próximo dia 23 de Novembro, na Igreja da Misericórdia de Alpedrinha, que decorrerá a Cerimónia de Homenagem ao Cardeal D. Jorge da Costa. Espera-se que estejam representadas altas figuras da Igreja Católica, do Vaticano, do Estado Português e da União das Misericórdias.

Recorde-se que o Cardeal de Alpedrinha, D. Jorge da Costa, nasceu em Alpedrinha no ano de 1406, filho de Martim Vaz e Catarina Gonçalves.
Estudou em Paris e foi prelado em várias dioceses: Bispo de Évora em 1463, Arcebispo de Lisboa, em 1464 e Arcebispo de Braga, em 1501.
Foi feito Cardeal pelo Papa Xisto IV, em 18 de Dezembro de 1476, com o título dos Santos Pedro e Marcelino.
Foi Cardeal de Portugal em Roma, durante o pontificado de quatro Papas (Inocêncio VIII, Xisto IV, Alexandre VI e Júlio II); tendo contudo no conclave a seguir a Alexandre VI sido D. Jorge da Costa o escolhido para Papa. Renunciou ao cargo, vindo a eleger-se em nova votação Júlio II, que no momento da “obediência”, dispensou D. Jorge da Costa de se ajoelhar, para o fazer subir os degraus do trono, para, com um beijo na fronte e um abraço de reconhecido apreço, lhe dizer: “Se estou neste lugar, a ti o devo. Eu serei o Papa de direito. Mas tu serás o Papa de facto”.
Recorde-se que foi quem representou Portugal na assinatura do histórico Tratado de Tordesilhas onde ficou conhecido como Cardeal de Portugal, e mereceu que Nuno Gonçalves lhe desse um lugar de relevo entre as figuras históricas de “Painel de S. Vicente” onde é referido como o Arcebispo.
Dotado de invulgares qualidades, foi diplomata, e teve o maior valimento junto de D. Afonso V, de quem foi conselheiro e confessor, tendo sido também mestre-capelão da sua irmã, a infanta D. Catarina.
Devido a incompatibilidades com o rei D. João II, foi viver para Roma em 1483, onde acabou por passar grande parte da sua vida, governando a partir da Cúria Romana a diocese.
Por onde passou deixou marcas da sua personalidade.
Deve-se a D. Jorge da Costa a criação da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, com todo o apoio que deu à Rainha D. Leonor, tendo, para o efeito, movido influências em Roma para que a nova instituição surgida em Portugal tivesse o reconhecimento do Papa. Em Évora, enquanto bispo daquela diocese, consagrou o Mosteiro de Santa Clara. Foi também o Cardeal, que, a pedido da Rainha D. Leonor, facilitou a elaboração dos estatutos do Hospital das Caldas.
D. Jorge da Costa, célebre Cardeal de Alpedrinha, morreu exilado em Roma, em 19 de Setembro de 1509, por contrariar a política centralista imposta à nobreza pelo rei D. João II.
Merece, pois, D. Jorge ser evocado e ver perpetuada a sua memória, não só no País e na Igreja que serviu, como sobretudo na sua terra natal que tanto se honra com a sua lembrança.

Fontes:Wikipédia e Agência Ecclésia.

2006-10-16

ALPEDRINHA homenageia o «seu» CARDEAL

D. Jorge da Costa, conhecido como o Cardeal de Alpedrinha, vai ser homenageado na passagem dos 600 anos do seu nascimento. Misericórdias, autarquias e um representante do Vaticano fazem parte da comissão de honra para recordar um homem que só não foi papa porque não quis. A União das Misericórdias Portuguesas está a preparar uma homenagem pela passagem dos 600 anos do nascimento de D. Jorge da Costa, conhecido como o Cardeal de Alpedrinha. As comemorações deverão ter início em Novembro deste ano, por altura da data do seu nascimento, e só vão terminar em 2008, por ocasião da data do seu falecimento, dado que o Cardeal D. Jorge da Costa viveu 102 anos. D. Jorge da Costa nasceu em Alpedrinha, obtendo a sua formação nos Seminários da Diocese da Guarda. Depois de ter estado alguns anos em Lisboa, já como cardeal, foi desempenhar funções no Vaticano, o mesmo Estado que o viria a escolher para ser o sucessor de Pedro. D. Jorge da Costa foi eleito papa, mas recusou o lugar. Manuel Antunes Correia, recorda que D. Jorge da Costa “só não foi papa porque não quis. Por altura do Papa Júlio II, o cardeal de Alpedrinha viria a ter mais votos que todos os outros mas D. Jorge viria a renunciar o lugar”, diz o provedor da Misericórdia do Fundão, uma das entidades promotoras da homenagem. Na história da Igreja, o homem nascido em Alpedrinha poderia ter sido Papa mas preferiu dar o lugar a Júlio II. Este foi o motivo pelo qual no acto do cumprimento ao novo papa, quando o Cardeal D. Jorge da Costa ia cumprimentar o novo papa, Júlio II não deixou que o cardeal se ajoelhasse porque entendeu que aquele era o seu lugar, e que só o ocupara porque D. Jorge da Costa o tinha recusado. A União das Misericórdias Portuguesas conta com as autarquias de Lisboa e do Fundão e ainda com uma representação do Vaticano na organização. Para assinalar a data, Manuel Antunes Correia diz que será lançado um livro sobre a figura de D. Jorge da Costa, da autoria de três historiadores. Sendo o Fundão a sede do secretariado regional de Castelo Branco da União das Misericórdias, Manuel Correia, diz que as Misericórdias da região não poderiam ficar alheias às comemorações quando está em causa a figura do homem que influenciou a Rainha D. Leonor a criar as Misericórdias em Portugal. Não é por ocaso que as Misericórdias mais antigas, a seguir a Lisboa, estão no distrito de Castelo Branco, que conta actualmente com 26 Misericórdias. O programa definitivo ainda não se encontra concluído, estando neste momento a ser feitas algumas reuniões com a comissão de honra, que vai juntar personalidades do Vaticano, Lisboa, Fundão e Alpedrinha. Os bispos das Dioceses de Portalegre e de Castelo Branco, e da Diocese da Guarda integram também a comissão de honra das comemorações, que vão prolongar-se até 2008, recordando a data de 1508, altura em que faleceu o homem que ficou na história da Igreja e da região.
Fonte: "Reconquista"

2006-10-13

ZABUMBAS - Incansáveis

Quando o tema de conversa são os Chocalhos 2006 e o balanço desta iniciativa é feito com honestidade intelectual, os Zabumbas são, por mérito próprio, alvo de enormes elogios. A animação feita por este grupo de bombos alpetriniense foi fantástica. O peso dos bombos não se sentiu nas costas dos jovens incansáveis na altura de fazer mais uma arruada. Mais se notou no último dia, no domingo, onde os mesmos percorreram as ruas de Alpedrinha, uma e outra vez, praticamente como único motivo de animação de rua existente. A altas horas da madrugada de domingo e com as ruas já praticamente vazias, ainda ecoavam o som dos bombos de Alpedrinha, como que a encerrar um evento replecto de sucesso também para eles.

Fica aqui a minha homenagem e o meu agradecimento, aos elementos que compõem os ZABUMBAS, pelo empenho e dedicação que mostraram durante os três dias fantásticos que Alpedrinha e todos nós vivemos.

2006-10-02

CHOCALHOS 2006 - EVENTO de SUCESSO

A Feira dos Chocalhos 2006 foi um enorme sucesso. São unanimes os comentários classificando-o na liderança dos eventos realizados no Concelho do Fundão.

Quando alguns "profetas da desgraça" diziam que este evento iria desaparecer por falta de atractivos, estes viram Alpedrinha ser literalmente invadida por gente de todos os pontos do país que, mais uma vez, encheu a "Rua Corrente" num clima de convívio, deixando para trás outros acontecimentos importantes como a Festa da Santa Luzia, em termos de afluência de público presente. Segundo alguns cálculos, estima-se que nos três dias de Chocalhos, terão visitado Alpedrinha cerca de 15.000 pessoas.

Os Chocalhos 2007 terão de ser olhados de maneira diferente pelos responsáveis camarários. Para a próxima edição, os apoios financeiros deverão ser outros e algumas arestas deverão ser limadas, como algumas falhas na divulgação.

No calendário de muitos portugueses, no terceiro fim-de-semana de Setembro de 2007, já está marcada mais uma visita a Alpedrinha e aos Chocalhos 2007. O convívio e o reencontro de pessoas que não se veem há muito, tem lugar na nossa Sintra da Beira. Esta é a verdadeira essência deste evento, onde a índole popular e tradicional da Beira Baixa caracteriza esta feira franca. A animação de rua, com folclore, bombos, gaiteiros, chocalheiros, acordeonistas e outros grupos de música tradicional, continuarão a ter o seu espaço. As tasquinhas, continuarão a deliciar os visitantes integrados na rota dos caminhos da Transumância, com os seus petiscos, bom vinho e jeropiga.


Fica o agradecimento a quem organizou e trabalhou na realização deste evento. População de Alpedrinha, Junta de Freguesia de Alpedrinha e Câmara Municipal do Fundão, estão de parabéns pela forma como, em conjunto, conseguiram agarrar esta organização e fazer com que a edição deste ano, que foi já a quinta, tivesse maior afluência que nos anos anteriores.

Alpedrinha, "Capital do Bem Haja", mostrou a arte de saber receber bem quem a visita. Todos esperamos que para o ano aconteça o mesmo e que a Feira dos Chocalhos 2007 volte a ser novamente um sucesso.

2006-09-30

Assembleia de Freguesia de Alpedrinha


Decorreu na passada sexta-feira, dia 29/09/2006, pelas 21:30, no edifício dos Antigos Paços do Concelho, a Assembleia de Freguesia de Alpedrinha, com a seguinte ordem de trabalhos:

1 - Período antes da Ordem do Dia;

2 - Período da Ordem do Dia;
2.1 - Apreciação da informação escrita do Sr. Presidente da Junta de Freguesia acerca da actividade e situação financeira da Freguesia;
2.2 - Apreciação e votação da proposta da Junta de Freguesia acerca da venda ambulante;
2.3 - Análise da sinaléctica a instalar na Freguesia de Alpedrinha;

O Período antes da Ordem do Dia foi utilizado para uma chamada de atenção, do comportamento incorrecto de alguns alunos do Externato, na rua desde o mesmo até às bombas de combustível, onde o lixo que estes deitam no chão merece uma acção de sensibização junto dos alunos e responsáveis por aquele estabelecimento de ensino, visando a correcção deste mau hábito.
Nos seguintes pontos da ordem de trabalhos, mereceu particular destaque, das partes que constituem este orgão liberativo, a Feira dos Chocalhos 2006, onde foi feita uma espécie de balanço final da mesma. Foram unanimes os elogios aos responsáveis da Junta de Freguesia e Câmara Municipal pela organização e sucesso do evento, aproveitando também para tecerem algumas considerações em torno do que se irá passar no próximo ano, com a troca de ideias construtivas que visam melhorar este evento.
As comemorações dos 600 anos do Cardeal D. Jorge da Costa, Polidesportivo, Estação C. F., obras da escola primária, foram assuntos também aflorados nesta reunião. A venda ambulante e a sua necessidade de regulamentação esteve também em foco.
Foi ainda aprovada por maioria e uma abstenção, uma proposta de alteração ao Regulamento de Trânsito da Freguesia, que atribui um lugar de estacionamento para deficientes no Largo D. Gracinha Correia e um lugar de estacionamento em frente aos CTT e outro em frente à Farmácia Trindade, para utentes deste serviços públicos, limitados a 15 minutos de utilização.
De salientar que o público presente, embora que em pequeno número, está a aumentar de assembleia para assembleia, o que poderá indicar um maior interesse da parte da população de Alpedrinha pelos assuntos que a todos dizem respeito. É fundamental que todos tomemos consciência que existem lugares próprios para falar sobre os assuntos da Freguesia e que estes sejam utilizados, por todos, para esse efeito.

2006-09-11

ALPEDRINHA NOS AÇORES

Alpedrinha vai estar representada na Região Autónoma dos Açores, de 15 a 19 de Setembro. Esta representação estará a cargo do Grupo de Música Popular da Casa do Povo de Alpedrinha, em digressão por Ponta Delgada, na ilha de São Miguel. Nesta deslocação estão marcadas duas actuações, no sábado e no domingo e, segundo Joaquim Rosa, Presidente da Direcção daquela colectividade, "duas actuações estão certas, mas a organização garantiu-nos que irá ter lugar mais uma ou duas."
A Casa do Povo de Alpedrinha tem ganho papel de destaque no meio cultural, pelas actuações que tem feito, não só com o Grupo de Música Popular, mas também com o Rancho Folclórico. Exemplo disso, foi a recente participação (dias 10 e 11 de Setembro) do Rancho, no Festival de Folclore que teve lugar em Albufeira (Algarve).
Esta Associação tem levado o nome de Alpedrinha e do Concelho do Fundão pelo país fora, mesmo com fracos apoios financeiros.
Creio ter chegado o momento, para que todos tomemos consciência da importância desta colectividade no panorama cultural. O apoio de todos é vital para que a Direcção prossiga com este excelente trabalho.
Não posso deixar de dar os parabéns a toda a Direcção, pelo trabalho, dedicação e esforço que têm mostrado.
Foto: António Rosa

2006-09-06

Festival dos Caminhos da Transumância

Nos dias 15, 16 e 17 de Setembro, decorre em Alpedrinha, mais um Festival dos Caminhos da Transumância. Este evento, que vai já na sua 5ª edição, já conquistou o seu lugar no calendário de muitos visitantes que nestes dias se deslocam a esta vila. As ruas do centro histórico de Alpedrinha, vão encher-se mais uma vez de pessoas embebidas do espírito que caracteriza este evento.
As tradicionais tasquinhas e a animação de rua não vão faltar nestes três dias de festa. A cultura, artesanato e concertos também têm lugar marcado no programa deste ano.
PROGRAMA:
Sexta-feira - 15/09/2006
18:00
-Abertura do Acampamento "Rota da Transumância" na Quinta do Anjo da Guarda;
19:00
-Abertura da Feira:
-Desfile do Grupo de Bombos de Alpedrinha "ZABUMBAS";
-Desfile do Rancho Folclórico de Cernache do Bonjardim;
-Desfile de acordeonistas;
21:30
-Actuação do Rancho Folclórico de Cernache do Bonjardim;
-Concerto pela Filarmoniza;
-Cantares ao Desafio;
-Acordeonista Sertório;
Sábado - 16/09/2006
09:00
-"O solitário caminho dos pastores" (passeio pedestre Alpedrinha-Póvoa de Atalaia) Saída do Largo da Junta de Freguesia;
11:00
-Arruada pelos Chocalheiros de Vila Verde de Ficalho;
17:00
-Conversas Transumantes "A Pastorícia e o Desenvolvimento" com Santiago Bayón Vera, moderada por Maria João Centeno, na Capela do Leão.
-Quarteto Mayalde, na Capela do Leão;
18:00
-Desfile com:
*Bombos e folia da Casa do Povo do Paúl;
*Gigabombos;
*Roncos do Diabo;
*Chocalheiros de Vila Verde de Ficalho;
*Rancho Folclórico da Casa do Povo do Souto da Casa e Grupo de Bombos;
21:30
-Actuação do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Souto da Casa, no palco do Largo da Igreja;
-Cantigas à Desgarrada, no palco do Largo da Fontaínha;
22:00
-Actuação do Quarteto Mayalde no palco do Largo da Fontaínha;
23:00
-Cantigas à Desgarrada, no palco do Largo da Igreja;
-Actuação do Rancho Folclórico da Casa do Povo do Souto da Casa, no palco do Largo da Fontaínha;
Domingo 17/09/2006
08:30
-Passeio pedestre "Rota da Transumância" Fundão - Alpedrinha (Saída da Praça do Município);
10:30
-Desfile do Rebanho (Palácio do Picadeiro)
-Arruada pelos Chocalheiros de Vila Verde;
12:00
-Missa Dominical;
16:00
-Lançamento do livro "Ar Serrano" de Luis Filipe Maçarico, na Capela do Leão;
17:00
-Desfile com os Grupo de Bombos de Alcongosta, Castelejo e Donas e ainda com os Zabumbas de Alpedrinha, Chocalheiros, Gaiteiros e Acordeonistas; ( Associação Acordeonistas da Beira Baixa)
21:00
-Actuação do Rancho Folclórico da Cova da Beira da Junta de Freguesia do Fundão e bombos;
21:30
-Cantigas à Desgarrada;
22:00
-Concerto de encerramento da Feira, pela Academia de Música e Dança do Fundão, na Igreja Matriz;

FOTOS: JFA

2006-08-31

PROMOÇÃO DOS CHOCALHOS 2006

A promoção dos Chocalhos 2006, que se irá realizar em Alpedrinha nos dias 15, 16 e 17 de Setembro, já está na rua. Os outdoors e os pendurantes já estão montados e à vista de todos, fazendo a divulgação deste, que é já considerado por muitos, o maior evento que se realiza em Alpedrinha.
A imagem de marca deste evento é claramente o pastor e o seu rebanho. Este ano a Câmara Municipal do Fundão e a Fundão Turismo, entenderam que, na execução gráfica destes painéis publicitários, deveriam abdicar da imagem do pastor alpetriniense Sr. Lopes e substituíla por outro pastor de costas viradas. Ora, o "Ti Lopes" (como é conhecido em Alpedrinha), é para muitos a verdadeira imagem de marca dos Chocalhos, sendo esta substituíção bastante discutível. Outros dizem que era necessário dar uma imagem nova a este evento. Todas as opiniões se podem aceitar.
O que parece inaceitável é a não inclusão do símbolo heráldico de Alpedrinha nos referidos painéis. Como é sabido, Alpedrinha e a sua população, são as verdadeiras molas impulsionadoras para o sucesso deste evento. Relembro que foram feitos outros eventos do género noutras freguesias do concelho do Fundão e em nenhuma delas se voltou a repetir. Daí achar-se justo a inclusão de Alpedrinha no lote dos organizadores. "O seu a seu dono."

Como é sabido, a animação de rua, gaiteiros, chocalheiros, concertos, ranchos, bombos, concertinas, tasquinhas e lojas, fazem parte do programa deste ano. Do mesmo fará parte também, as "Conversas Transumantes" e a degustação de uma "miga" à pastor. O tradicional passeio pedestre com rebanho, desde o Fundão até Alpedrinha também não podia deixar de acontecer, na manhã de domingo.

Espera-se muita animação e ruas cheias de visitantes.

2006-08-29

ARTIGO SOBRE ALPEDRINHA

 /
Destinado a todas as pessoas que têm curiosidade sobre tudo o que se vai dizendo sobre Alpedrinha, aproveito para transrever um artigo publicado recentemente pelo jornal "Reconquista" em 25/08/2006 e no site www.portugalcentro.pt.
Este artigo faz referência à candidatura de Alpedrinha ao programa das Aldeias Históricas e às obras do Palácio do Picadeiro.

Alpedrinha reclama estatuto de Aldeia Histórica
A freguesia de Alpedrinha continua à espera da classificação de Aldeia Histórica. O presidente da Junta diz que Alpedrinha aparece como uma das maiores referências do património construído e a juntar à arqueologia e espaços naturais, a aposta passa pelo turismo termal com a reabilitação das Termas da Touca.

Francisco Roxo, o presidente da Junta de Freguesia de Alpedrinha continua à espera que aquela freguesia do concelho do Fundão receba a classificação de Aldeia Histórica. Tem sido a pensar na vertente turística que a Junta de Freguesia tem apostado nas mais variadas formas culturais de forma a dar a conhecer a vila.
Alpedrinha quer contar não só com aqueles que lá vivem mas também com aqueles que escolhem a vila para passar alguns dias. Para isso o actual executivo quer continuar a promover a vila reclinada na Serra da Gardunha.
Com a classificação de Alpedrinha a Aldeia Histórica o autarca lembra as obras que teriam que ser feitas, desde a passagem subterrânea dos cabos eléctricos e de comunicação à recuperação das calçadas da vila, de cuja fundação nada se sabe já que a povoação existia quando os romanos dominavam na Península Hispânica, a chamada “Petratinia”. Daí terá nascido o nome de Alpedrinha.
Outra das obras a concluir ainda este ano é a recuperação do Palácio do Picadeiro. O autarca aponta para o mês de Setembro a conclusão das obras ficando depois a faltar o equipamento do edifício que faz parte de uma das maiores referências do património construído ao longo dos séculos. Na próxima edição da Feira dos Chocalhos, Francisco Roxo gostaria que quem visitasse Alpedrinha tivesse oportunidade de admirar do lado exterior o edifício.
O mês de Maio de 2007 é o mês provável da conclusão das obras onde Francisco Roxo volta a lembrar a promessa feita pela Câmara Municipal do Fundão em trazer a Alpedrinha, ao Palácio do Picadeiro, os Madredeus. Francisco Roxo chama ao concerto a grande festa da inauguração do Palácio de altas e rasgadas janelas com uma parte a Oriente de construção mais antiga e a Poente, de construção moderna.
O edifício composto por dois andares cuja construção tem desafiado o passar dos séculos poderá ficar finalmente acabado, dado que, segundo consta em Alpedrinha, este grandioso edifício nunca chegou a ser acabado “devido a um embargo real, pois era uma obra de tal sumptuosidade que o rei teve inveja de um palácio assim e proibiu a sua conclusão”. O palácio terá como limite o próprio céu já que o telhado está a ser construído em vidro deixando em aberto a imensidão do universo. No interior será proposto ao visitante uma viagem pelo território concelhio recorrendo às novas tecnologias virtuais.
As obras foram orçadas em mais de 800 mil euros a juntar a mais de 600 mil euros para os conteúdos, dado que ficará dotado com uma componente tecnológica.


2006-08-25 /Reconquista

Fonte: www.portugalcentro.pt

2006-08-03

Noite de Música Popular em Alpedrinha

Tal como prometi, aqui estão algumas fotos do 1º Encontro de Grupos de Música Popular de Alpedrinha, que decorreu no passado dia 17 de Junho, no polidesportivo da Casa do Povo. Neste evento, além do Grupo de Música Popular da entidade organizadora, participaram ainda Grupos de Música Popular do Barco, do Freixial e da Amadora.
No final foram entregues lembranças ao grupos presentes, pela mão do Presidente da Direcção da Casa do Povo, Sr. Joaquim Rodrigues Rosa.
Foi uma noite bastante animada e seguramente para repetir, dada a afluência de público presente.
Parabéns à Direcção da Casa do Povo de Alpedrinha e ao seu Grupo de Música Popular por esta iniciativa. Seguramente que os presentes aguardam já pelo 2º encontro.
A próxima iniciativa desta entidade, está já marcada para o próximo dia 12 de Agosto e será um encontro de fólclore, onde estarão presentes os Rancho Folclóricos da Casa do Povo de Alpedrinha, de Vale Domingos de Águeda, de Albufeira, de Picassinos de Marinha Grande e de Trigais da Serra. Este, também terá lugar no palco do polidesportivo da entidade organizadora.
Fotos: António Rosa

2006-07-25

FESTA DO ANJO DA GUARDA - ALPEDRINHA

A Festa em Honra do Anjo da Guarda 2006, irá decorrer, como sempre, no fim-de-semana do terceiro domingo de Agosto. Este ano começa no dia 18 e termina a 21. A organização desta festa está a cargo da Fábrica da Igreja de Alpedrinha e tem o seguinte programa:

Sexta-feira>18/08/2006
22:00-Actuação do agrupamento musical "PETRALUSA";

Sábado>19/08/2006
13:00-Alvorada com a Pirotécnia Oleirense;
20:00-Arruada da Banda Filarmónica de Aldeia Nova do Cabo;
20:30-Missa na Igreja Matriz seguida de procissão para o recinto do Anjo da Guarda;
23:00-Actuação do agrupamento musical "CHAPARRAL BAND" de Torres Vedras;

Domingo>20/08/2006
08:00-Alvorada;
12:30-Missa na Capela do Anjo da Guarda seguida de procissão no recinto da festa;
18:00-Leilão de ofertas;
21:30-Actuação do Rancho Folclórico da Casa do Povo de Alpedrinha;
22:30-Actuação do agrupamento musical "FV MUSIC" de Leiria;

Segunda-feira>21/08/2006
17:00-Arruada dos Zabumbas nas principais ruas da vila e exibição no recinto da festa;
19:00-Missa na Capela do Anjo da Guarda;
21:00-Actuação do Grupo de Música Popular da Casa do Povo de Alpedrinha;
22:00-Actuação do agrupamento musical "RENOVAÇÃO 3" de Figueira de Castelo Rodrigo;

É esperada a participação de muitos fiéis, principalmente no sábado à noite, na missa a celebrar na Igreja Matriz e na procissão até à capela do Anjo da Guarda. O mesmo se espera no domingo, na Eucaristia que será celebrada na capela do Anjo da Guarda, seguida da procissão no recinto da festa.
Quanto à animação, esta decorrerá até altas horas da madrugada, abrilhantada pelos conjuntos musicais contratados para o efeito.
A organização faz votos que tudo corra dentro da normalidade e sem problemas.

2006-07-18

Acampamento Transfronteiriço da Juventude / Feira Transfronteiriça do Associativismo Juvenil

Alpedrinha já fervilha com os preparativos para o próximo fim-de-semana. O Acampamento e a Feira que irão decorrer, de sexta a domingo, foram agarrados com unhas e dentes pelos responsáveis e população de Alpedrinha.
Este evento está inserido no Projecto Cojutra no âmbito do Programa Interreg III-A Portugal-Espanha, que tem vindo a ser desenvolvido pela Instituto Português da Juventude e pela Junta de Castilla Y Léon.
É organizado pelo Instituto Português da Juventude, Junta de Freguesia de Alpedrinha, Teatro Clube de Alpedrinha e Liga dos Amigos de Alpedrinha, com o apoio da Câmara Municipal do Fundão e Fábrica de Igreja de Alpedrinha.

"Com um programa que considero aliciante, onde os concertos, a discoteca ao ar livre, o teatro, a animação de rua, a gastronomia, o cinema e os desportos radicais entre outras propostas marcarão presença, espero, e espera a organização, uma ampla participação de jovens e associações de ambos os lados da fronteira (Castelo Branco, Guarda e Castilla y Lyon).
Com esta iniciativa pretende-se, algo muito simples como é o de, proporcionar três dias de agradável convívio aos participantes no início das suas férias escolares para que possam descomprimir de um ano de estudo, ou trabalho, e ao mesmo tempo conhecerem ou aprofundarem amizades com os nossos amigos de Castilla y Lyon.
Para as associações juvenis este será um espaço onde poderão dar a conhecer o trabalho que desenvolvem e ganharem maior visibilidade junto dos jovens. (...) Alpedrinha e as suas belezas naturais e patrimoniais esperam por ti numa actividade que acredito será uma grande festa para a juventude raiana" disse o Delegado Regional do IPJ de Castelo Branco, Dr. Miguel do Nascimento, em comunicado.

PROGRAMA DO EVENTO

dia 21
18:00 horas – Abertura da Feira c/ desfile do Grupo de Zabumbas de Alpedrinha
19:00 horas – Abertura do Acampamento
21:00 horas – Animação de Rua
21:30 horas – Teatro “Auto da Barca do Inferno “ (Teatro Clube de Alpedrinha)
23:00 horas – Actuação dos “Lúmen” (Chafariz D. João V)
00:30 horas – Discoteca ao Ar Livre (Chafariz D. João V)

dia 22
18:00 horas – Abertura da Feira
21:30 horas – Teatro “Auto da Barca do Inferno “ (Teatro Clube de Alpedrinha)
22:00 horas – Concerto Clássico (Capela do Leão)
23:00 horas – Actuação dos “Fadomorse” (Chafariz D. João V)
00:30 horas – Discoteca ao Ar Livre (Chafariz D. João V)

dia 23
12:00 horas – Missa Jovem (ao Ar Livre)
17:00 horas – Encontro de Grupos de Bombos
20:30 horas - Concurso de Moda (Largo Padre José Santiago)
21:30 horas – Teatro “O Alienista” (Grupo de Teatro Cães à Solta de Alcains) (Teatro Clube de Alpedrinha)
22:00 horas – Concerto de Canto e Orgão (Igreja Matriz)
23:00 horas – Actuação dos “Hiena” (Chafariz D. João V)
01:00 horas - Encerramento da Feira

PROGRAMA DE ACTIVIDADES RADICAIS

dia 21
18h00 - parede de escalada
21h00 - iniciação ao tiro ao alvo com zarabatana, fisga e mini-besta
23h00 - encerramento das actividades

dia 22
15h00 - paintball
18h00 - parede de escalada
21h00 - "Competição" de jogos tradicionais
23h00 - encerramento das actividades

dia 23
18h00 - parede de escalada
21h00 - concurso de tiro ao alvo com zarabatana, fisga e mini-besta
23h00 - encerramento das actividades

2006-07-12

ALPEDRINHA - CENSOS 2001

Infelizmente, seguindo a tendência dos últimos Censos, todos os indicadores populacionais caíram na última década, tendo a população residente na freguesia caído 12,5% nos últimos dez anos, verdadeiramente assustador! Com estes resultados, Alpedrinha acaba por cair uma posição no ranking do concelho do Fundão em relação aos Censos 1991, passando agora a ser a quarta freguesia em termos de população residente (1.179), depois de Fundão (8.934), Vale de Prazeres (1.507), Valverde (1.452) e Alcaria (1.270). Os resultados do concelho na sua globalidade também são preocupantes, tendo a população residente passado de 31.224 para 30.390, o que representa uma queda de 1%. Em termos nacionais a população residente passou a ser de 10.230.603, tendo-se verificado um aumento de 3,7%.

População Residente
1991: 1.348;
2001: 1.179 = Variação: -12,5%
P. R. Homens
1991: 646;
2001: 567 = Variação: -12,2%
P. R. Mulheres
1991: 702;
2001: 612 = Variação: -12,8%
Famílias
1991: 442;
2001: 410 = Variação: -7,2%
Alojamentos
1991: 797;
2001: 720 = Variação: -9,7%
Edifícios
1991: 690;
2001: 618 = Variação: -10,4%

Texto: Joaquim Ferreira
FONTE: Instituto Nacional de Estatística
Foto: FJP

OUTRA VEZ OS INCÊNDIOS

A Serra da Gardunha foi alvo, na passada semana, do primeiro incêndio da época, desta vez de pequenas proporções graças ao combate de pronto pelos meios aéreos disponíveis na região. O mesmo ocorreu poucos metros antes da curva do Alto da Serra, sentido Alpedrinha - Fundão, à beira da estrada, o que poderá indicar a sua origem num cigarro mal apagado deitado fora por um automobilista distraído e inconsciente.
É este comportamento incorrecto que quero aqui lamentar e condenar, pedindo a todos que colaborem com as instituíções na prevenção dos incêndios.
Em Alpedrinha há jovens, em regime de voluntariado, que estão de vigia na zona do Anjo da Guarda e que têm a função de alertar de imediato os bombeiros no caso do surgimento de um incêndio. Estes jovens têm um papel fundamental no combate aos mesmos, uma vez que o seu alerta possibilita, aos bombeiros, o ataque ao incêndio no seu início.
Com a ajuda de todos, podemos evitar a catástrofre e manter a nossa serra verde.

2006-07-08

CRISE NO ASSOCIATIVISMO

Pela 1ª vez, desde 1988, o Campeonato Distrital organizado pela Associação de Futebol de Castelo Branco vai ter apenas uma divisão. Ou seja, apenas se inscreveram 12 equipas da 1ª divisão e 4 da 2ª divisão. Por unanimidade, em Assembleia Geral, os clubes decidiram fundir os 16 participantes, apenas e só num único escalão. Assim, a 1ª Divisão Distrital de Castelo Branco, na próxima época (2006/2007), terá 16 equipas. Esta alteração profunda, deveu-se à desistência da prova de vários clubes.
Esta questão, quanto a mim, necessita de uma reflexão profunda.
O que é que terá levado os clubes a desistir? Questões económicas? Crises directivas?
Creio que é melhor pensarmos um pouco sobre o assunto. Estou certo de uma coisa. Nas freguesias habituadas a ter, domingo sim, domingo não, a agitação própria de um desafio de futebol, vão achar falta. O vazio vai apoderar-se dessas pessoas que preenchiam a tarde de domingo com uma ída ao futebol. E seguramente que irão lamentar o sucedido.
Mas, a questão de fundo é esta. A crise no associativismo.
Todos sabemos que as organizações não se movem sozinhas. Há pessoas que são os verdadeiros motores do funcionamento das instituíções. Estas merecem o nosso apreço. Devemos apoiá-las em vez de as criticar por criticar. Como disse anteriormente, as associações vivem da carolice dos seus dirigentes. Estes dedicam muito tempo à vida associativa, em detrimento da vida pessoal e profissional. Descoram-na muitas vezes, para cumprir o dever de director responsável. Só quem nunca esteve ligado a uma associação é que tem dificuldade em perceber o que digo.
Para que a crise no associativismo não afecte Alpedrinha, há um comportamento que todos devemos ter. Apoiar as instituíções e os seus responsáveis que trabalham para nos proporcionar momentos de laser e entretenimento.
Muitas freguesias do nosso concelho, só têm eventos culturais quando estes são da organização exclusiva da Câmara Municipal. Em Alpedrinha, felizmente, além destes, existem também muitos mais eventos organizados pelas instituíções como o Teatro Clube, Liga dos Amigos, Casa do Povo, Junta de Freguesia, Escuteiros e Fábrica da Igreja.
Para que, no futuro, não sejamos nós a lamentar o desparecimento de associações e eventos, devemos colaborar com todas estas instituíções. Fica o desafio lançado.

2006-06-30

Assembleia de Freguesia de Alpedrinha

Realizou-se na passada sexta-feira, dia 30 de Junho, pelas 21:30, na sala da biblioteca do Edifício dos Antigos Paços do Concelho, em sessão ordinária, a Assembleia de Freguesia de Alpedrinha, com a seguinte ordem de trabalhos:

1- Período antes da ordem do dia;

2 - Periodo da ordem do dia;

2.1- Apreciação da informação escrita do Sr. Presidente da Junta de Freguesia;

Foi uma Assembleia de Freguesia bastante animada e construtiva, onde se discutiram questões vitais para o desenvolvimento de Alpedrinha. No final da mesma, e como é hábito, foi dada a palavra ao (pouco) público presente (5 pessoas). Apenas se lamenta que, mais uma vez, a população não tenha aparecido em grande número nesta reunião, apesar de alguns apelos feitos nesse sentido. Infelizmente, grande parte da população de Alpedrinha continua a não estar presente e uma minoria perfere outros meios (menos próprios) para comentar o que se vai fazendo na nossa Vila, muitas vezes de forma errada e mal informada, consequência evidente da sua ausência a estas reuniões.

ACAMPAMENTO TRANSFRONTEIRIÇO DA JUVENTUDE

Irá decorrer em Alpedrinha, nos dias 21, 22 e 23 de Julho de 2006, o Acampamento Transfronteiriço da Juventude / Feira Transfronteiriça do Associativismo Juvenil. O evento está inserido no Projecto Cojutra no âmbito do Programa Interreg III-A Portugal-Espanha, que tem vindo a ser desenvolvido pela Instituto Português da Juventue e pela Junta de Castilla Y Léon. Na Conferência de Imprensa em que se apresentou o Acampamento, no passado dia 16 de Junho, na sede da Liga dos Amigos de Alpedrinha, Miguel Nascimento, Delegado Regional do IPJ de Castelo Branco, referiu que “gostava que esta fosse uma grande festa de convívio e amizade entre os jovens e movimento associativo de ambos ao lados da fronteira. Alpedrinha será por certo a capital da juventude raiana nestes 3 dias onde poderão desfrutar das belezas naturais da Serra da Gardunha e ao mesmo tempo participar em concertos, animação de rua, jogos radicais e outros eventos pensados para os jovens.”

Programa provisório:

dia 21
18:00 horas – Abertura da Feira c/ desfile do Grupo de Zabumbas de Alpedrinha
19:00 horas – Abertura do Acampamento
21:00 horas – Animação de Rua
21:30 horas – Teatro “Auto da Barca do Inferno “ (Teatro Clube de Alpedrinha)
23:00 horas – Actuação dos “Lúmen” (Chafariz D. João V)
00:30 horas – Discoteca ao Ar Livre (Chafariz D. João V)

dia 22
18:00 horas – Abertura da Feira
21:30 horas – Teatro “Auto da Barca do Inferno “ (Teatro Clube de Alpedrinha)
22:00 horas – Concerto Clássico (Capela do Leão)
23:00 horas – Actuação dos “Fadomorse” (Chafariz D. João V)
00:30 horas – Discoteca ao Ar Livre (Chafariz D. João V)

dia 23
12:00 – Missa Jovem (ao Ar Livre)
17:00 – Encontro de Zabumbos
18:00 horas – Abertura da Feira
21:00 horas – Animação de Rua
23:00 horas – Actuação dos Hiena (Chafariz D. João V)

Todos os dias há Animação de Rua; Jogos Radicais; Animação de Bares; Tasquinhas; Informática no Camião da FDTI; Exposições de Associações / Instituições;

in Kaminhos

2006-06-13

1º Encontro de Grupos de Música Popular de Alpedrinha

Realiza-se no próximo dia 17 de Junho, o 1º Encontro de Grupos de Música Popular de Alpedrinha. Este evento, da responsabilidade da Direcção da Casa do Povo de Alpedrinha, presidida pelo Sr. Joaquim Rosa, terá lugar no polidesportivo daquela instituíção, com o seguinte programa:
19:00 - Concentração dos grupos no Terreiro de Stº António;
19:30 - Jantar;
21:00 - Actuação dos grupos;
Espera-se uma enorme afluência de público, como é normal nas actividades culturais que se levam a efeito em Alpedrinha.

2006-06-08

ALPEDRINHA OU VALE DE PRAZERES?

Foi com enorme apreensão que ouvi as declarações do Sr. Presidente da Câmara Municipal do Fundão, este domingo à tarde, aquando da inauguração do pavilhão gimnodesportivo de Valverde. À Rádio Cova da Beira, o edil fundamense, quando questionado acerca da política de equipamentos desportivos para o concelho, disse que "...o lado norte da Gardunha, já está suficientemente dotado de equipamentos desportivos. No lado sul da Gardunha, iremos construir um pavilhão gimnodesportivo na Soalheira e outro em Alpedrinha ou Vale de Prazeres, vamos ver..."

Em primeiro lugar, no lado norte da Gardunha há equipamentos desportivos suficientes? Acho que o Sr. Presidente da Câmara reduz o lado norte da Gardunha apenas e só ao Fundão, onde penso estar excelentemente bem equipado.
A zona de Peroviseu, Capinha e Três Povos já está munida de uma valência deste tipo? Creio que não e acho que aquela zona também precisa de criar condições à prática desportiva.
No entanto, este é um problema que os responsáveis daquelas freguesias terão de resolver.

Quando à questão de fundo: Alpedrinha ou Vale de Prazeres?
Será que esta questão se pode colocar? Não quero com isto dizer que Vale de Prazeres não merece ter um pavilhão gimnodesportivo. Concerteza que sim, uma vez que até tem um clube desportivo a disputar o campeonato distrital de futsal.
Mas parece-me um absurdo, ponderar entre Alpedrinha e Vale de Prazeres.
Creio que, e para ajudar os responsáveis da CMF a decidir, terá de se ter em conta muitos aspectos:
- Número de pessoas potenciais utilizadoras do espaço;
- Estabelecimentos de ensino existentes, que necessitam de um espaço com condições próprias para a vertente prática das aulas de educação física e desporto escolar;
- Instituíções e Associações existentes, potenciais utilizadoras daquele espaço polivalente, para desenvolvimento de acções de índole desportiva, cultural e outras;
- Histórico de reinvindicações para obter o benefício da sua construção;
- Resultado do estudo estatístico efectuado em Alpedrinha, sobre as obras mais urgentes indicadas pela população;

Há mais, mas creio que estes argumentos são suficientes para que a Câmara Municipal e os seus responsáveis, de uma vez por todas, possam dotar Alpedrinha deste tão desejado equipamento desportivo.
No entanto, gostaria de abrir a discussão sobre esta matéria e pedir que todos contribuam com mais argumentos, para facilitar a escolha da Câmara Municipal.
Não nos podemos esquecer que, numa reunião com o Vereador Dr. Paulo Fernandes, ficou a promessa de que para 2007, Alpedrinha iria ser contemplada com este benefício.
Confesso que fiquei preocupado com o que ouvi e creio que esta declaração é algo perigosa, porque nesta matéria, quando se trata de escolher entre Alpedrinha e outras freguesias, a nossa experiência não tem sido muito positiva. Ou seja, já estamos calejados e de pé atrás.
A esperança será sempre, mas sempre a última a morrer.

2006-06-07

A "Sintra" da Beira

«Onde o granito é água, o verde é luz, o azul é serra, e os segredos respiram-se!» é assim que Paula Silva retrata num poema Alpedrinha, a vila dotada de uma espantosa riqueza cultural e histórica, para além de um tesouro natural que lhe confere o estatuto de Sintra da Beira.
in O Primeiro de Janeiro
Foto:Idem

Aos cibernautas sempre atentos sobre o que se vai publicando sobre Alpedrinha, sugiro a visita so site do jornal "O Primeiro de Janeiro", para lerem um artigo publicado recentemente num suplemento sobre o Concelho do Fundão. Este artigo faz referência a uma entrevista com o Presidente da Junta de Freguesia de Alpedrinha, Sr. Francisco Barata Roxo, onde o mesmo salienta as potencialidades desta vila nos mais variados níveis, desde o seu microclima com vantagens ímpares para a agricultura, qualidade das águas, serviços existentes, actividades culturais, Turismo e outros.

Basta ir a:

http://www.oprimeirodejaneiro.pt

2006-06-04

MELHORAMENTOS EM ALPEDRINHA

Com o encerramento de algumas das passagens de nível por parte da REFER, houve alguns melhoramentos em pequenos troços de caminhos, por via da sua sustituição. O facto é que a REFER, apenas está obrigada a construir alternativas às passagens de nível e à circulação dos veículos desde o caminho original (antes da linha) até à sua ligação (depois da linha). Estava à vista de todos, que era obrigação da Junta de Freguesia lutar para que, com o fecho dessas passagens, outros melhoramentos fossem executados pela REFER. A Junta de Freguesia pediu à REFER que arranjasse o caminho, desde o cemitério velho até ao caminho do Carreiro, mas essa reinvidincação foi rejeitada de pronto. Após algumas negociações, envolvendo também os proprietários das parcelas de terreno afectadas com o encerramento das passagens de nível, a REFER aceitou arranjar o caminho desde o cemitério velho até à entrada para a Quinta do Nogueirão Fundeiro. Honra seja feita aos responsáveis da freguesia e utentes (pela capacidade de negociação) e da REFER (na cedência a esses pedidos formulados), no mérito que tiveram em fazer muito mais do que aquilo a que a REFER estava obrigada. A prova deste bom entendimento está à vista de todos.
Foi excelente o trabalho feito pela REFER na reparação desse troço do caminho. Além de arranjar o pavimento de aproximadamente 200m (distância do troço da passagem superior pela Quinta da Capela até entroncar novamente no caminho), a que estava obrigada, reparou todo o troço de caminho que tinha prometido. A qualidade do piso, criou desde logo outra necessidade. O alcatroamento do mesmo tornou-se uma urgência, uma vez que a REFER tinha deixado o piso pronto para ser asfaltado. Que as águas pluviais iriam destruir aquela requalificação, ninguém tinha dúvidas e a prova está bem patente no caminho arranjado pela REFER há já alguns anos, após o encerramento da passagem de nível imediatamente antes da estação (a Sul da mesma).
Tornou-se então prioridade para a Junta de Freguesia, convencer a Câmara Municipal do Fundão a aproveitar as obras que aí tinham sido feitas pela REFER e asfaltar aquele troço. Tarefa concretizada após visita ao local do Sr. Presidente da Câmara, Dr. Manuel Frexes, em que foi o próprio que marcou os limites do alcatroamento, coincidindo, claro está, com o troço arranjado pela REFER, obtendo natural acordo da Junta de Freguesia.
Esta obra está já concluída e terminou com um convívio entre a Câmara Municipal, Junta de Freguesia, utentes beneficiários do caminho e os funcionários da empresa que executou a empreitada.

2006-05-18

18 MAIO - DIA INTERNACIONAL DOS MUSEUS

Neste dia 18 de Maio comemora-se o Dia Internacional dos Museus. É obvio que não podia deixar passar o mesmo em claro, sem fazer referência aos Museus existentes em Alpedrinha.

O Museu Etnográfico da Liga dos Amigos de Alpedrinha, situado na Sede dos Antigos Paços do Concelho, tem expostos vários artigos utilizados no antigamente nos mais variados ramos de actividade, desde a a agricultura, passando pelos sapateiros, latoeiros, ferreiros, barbeiros, costureiras, antigos instrumentos da Banda Filarmónica, trajes antigos e muitas outras pequenas curiosidades aí existentes.
O Museu de Móveis Embutidos, situado por cima da antiga oficina de embutidos do Sr. Mário Brás, oferece uma oportunidade única de serem vistas autênticas maravilhas. Móveis fantásticos com adornos embutidos de madeira (e alguns com marfim), verdadeiros tesouros de encantar.O Museu de Arte Sacra da Paróquia de Alpedrinha, situado na sacristia da Igreja Matriz, permite que peças raríssimas de beleza ímpar sejam vistas pelos apreciadores deste tipo de arte. Paramentos lindíssimos, cálices de enorme valor e imagens soberbas de santos merecem ser visitados.
Fica a sugestão e caso lhe seja possível, visite os museus de Alpedrinha.

2006-05-17

ALPEDRINHA VISTA DE MUITO LONGE

O Google Earth permite-nos uma visão impar sobre o território do nosso planeta. As imagens de satétile que podemos observar, são extraordinárias. Dá-nos acesso a ver vários pontos do Globo Terreste de uma forma priviligiada. Podemos até ir ao ponto de encontrar a nossa própria casa com detalhes impressionantes. A imagem que coloquei nesta postagem é tirada dessa fantástica ferramenta.
Alpedrinha focada por um satélite a muitos milhares de metros de altura. É uma visão lindíssima.
Alpedrinha é bonita de se ver até vista de muito, muito, muito longe.

2006-05-15

HISTÓRIAS DE ALPEDRINHA


Para os curiosos navegadores da auto-estrada da informação que é a internet, sugiro que visitem um site, que tem um artigo muito interessante acerca de Alpedrinha: Histórias de Alpedrinha.
É um artigo muito completo, escrito há alguns anos, para ser enviado a quem ainda não conhece Alpedrinha. Talvez estas palavras sirvam de mola impulsionadora para uma visita à Sintra da Beira.
Estou certo que ninguém dará o tempo como perdido.
O património aqui existente merece ser conhecido.

Basta ir a:
http://www.lifecooler.com/edicoes/lifecooler/desenvArtigo.asp?art=905&rev=2&tit=

2006-05-08

4º ANIVERSÁRIO DO RANCHO

No próximo domingo, dia 14 de Maio, a Casa do Povo de Alpedrinha comemora o 4º ano de existência do seu Rancho Folclórico. As comemorações desta efeméride têm o seguinte programa:
16 horas - Missa Folclórica na Igreja Matriz, com a participação do Rancho Folclórico;
17 horas - Desfile do Rancho Folclórico desde a Igreja até ao Largo do Espírito Santo;
18 horas - Actuação do Rancho;
19 horas - Apresentação e actuação do Grupo de Música Popular da Casa do Povo;
20 horas - Lanche convívio na Sala da Casa do Povo;
Com mais um aniversário, ficam os Parabéns aos membros da Direcção e a todos os elementos do Rancho Folclórico, uma vez que estes são responsáveis pela divulgação de Alpedrinha noutras paragens, contribuindo assim para aumentar o seu prestígio ao nível cultural.
Continuem este magnífico trabalho.

2006-05-03

GNR - Para quando a solução definitiva?

Devido ao mau estado de conservação do (antigo) Posto da GNR em Alpedrinha (foto acima), esta teve de se mudar. Aquele edifíco, há muito que não reunia as condições necessárias para acolher os militares da GNR. A solução encontrada na altura, pela Junta de Freguesia, foi o edifício sede da Casa do Povo (foto abaixo), uma vez que esta colectividade se encontrava inactiva. Esta ocupação pela GNR tem carácter provisório até que se encontre uma solução que garanta segurança e conforto. Mas, a escolha entre a reconstrução do edifício antigo e a aquisição de um terreno, que possibilitasse a construção de raiz de um novo quartel, tem dificultado a resolução definitiva do problema.
O facto é que, ainda que este edifício seja de construção recente, o mesmo está longe de permitir as condições ideais para o bom funcionamento do quartel.
É urgente portanto a resolução deste problema, tendo em consideração que a GNR não poderá sair de Alpedrinha, uma vez que a sua permanência na nossa vila é fundamental para garantir a segurança de todos.
Já nos contentamos com mais uma mudança provisória para outro local, desde que este seja aprovado pela GNR e preencha o requisito mais importante, alegado pelos próprios, que é a segurança.
A Junta de Freguesia já resolveu esta questão, uma vez que já encontrou local para o efeito, que após uma visita ao mesmo, este foi aprovado pelos responsáveis da GNR. Como é de fácil compreensão, o mesmo também necessita de obras para garantir o bom funcionamento do quartel.
Mas o ideal seria que o surgimento deste problema levásse definitivamente os responsáveis pela temática a resolver a questão do posto da GNR de forma definitiva. O antigo edifício foi adquirido pela CMF e aguarda-se notícias sobre o que se vai fazer dele.
Será que, do ponto de vista financeiro, executar as obras para tornar este apto para servir de Posto da GNR compensa? O que é que ficará mais dispendioso, construir um novo quartel de raíz ou reconstruir o antigo edifício? Penso que os responsáveis por esta área deverão ponderar os pós e os contras desta decisão. A mim não me compete fazer este raciocínio nem tomar qualquer decisão. Eu aceito qualquer uma destas. Para mim, o importante é satisfazer as necessidades da GNR e há uma solução que, nem eu, nem ninguém irá aceitar e que por isso está fora de questão: - Que a GNR tenha de sair de Alpedrinha por falta de instalações.
Isto eu não aceitarei.
Alpedrinha não aceitará.

2006-04-22

A CANÇÃO DE ALPEDRINHA

Quando nasceste Alpedrinha,
Veio o sol ao batizado,
A lua tua madrinha,
Deu-te um manto prateado,
O rouxinol a canção,
a água deu-te o perfume,
filha do meu coração,
Mais ardente do que o lume...

Cantai cantai é beleza sem igual,
Terra mais linda não existe em Portugal,
Sintra da Beira junto á Gardunha encostada,
Eu te saúdo Alpedrinha abençoada.

Letra: António Vaz Mendes Júnior
Música: José Bento Monteiro

Decidi publicar neste blogue o "Hino" de Alpedrinha, destinado a quem não o sabe. Creio que muitos alpetrinienses, principalmente de tenra idade, não o conhecem. Aqui fica o poema desta marcha e quanto à música, basta assistir a uma actuação do Rancho Folclórico da Casa do Povo para a escutar.

VI FESTIVAL DE ALPEDRINHA


Organizado pelo Externato Capitão Santiago de Carvalho decorre entre 31 de Março de 2006 e 26 de Maio de 2006 o FA 2006 - VI Festival de Alpedrinha.
Este evento tem o seguinte programa:
6 de Maio de 2006 – 21h30 – Coro da Universidade da Extremadura (Espanha) – Igreja Matriz de Alpedrinha
12 de Maio de 2006 – 21h30 – Dedilharco (Viola de arco e guitarra) – Igreja Matriz de Vale de Prazeres
19 de Maio de 2006 – 21h30 – (Des)concertante Trio (acordeão, clarinete e violoncelo – Tapeçaria Contemporânea – Sede da Associação Sóciocultural de Castelo Novo
26 de Maio de 2006 – 21h30 – Grupo de Teatro “Vaatão” – Peça – “ Romeu e Julieta” – Externato Capitão Santiago de Carvalho (Alpedrinha)
O FA 2006 teve início a 31 de Março, passado, com a Missa de aniversário da morte do Sr. Padre José Santiago e actuação do Trio de Guitarras da ESART na Igreja Matriz de Alpedrinha.
Este evento conta com o apoio da Delegação Regional de Castelo Branco do Instituto Português da Juventude.
Mais uma prova de que Alpedrinha está bem viva.

2006-04-18

18 DE ABRIL - Dia Mundial do Património

Hoje comemora-se o Dia Mundial do Património. Como é óbvio, este dia não podia passar em claro neste blogue. Isto porque trata apenas um assunto que é "Alpedrinha" e quando se escreve algo sobre esta linda vila do Concelho do Fundão, não se pode esquecer o riquíssimo património que aqui existe. Como forma de comemorar este dia, decidi colocar algumas fotos para recordar que existe todo este património em Alpedrinha e que é necessário continuar a preservar.