2006-10-16

ALPEDRINHA homenageia o «seu» CARDEAL

D. Jorge da Costa, conhecido como o Cardeal de Alpedrinha, vai ser homenageado na passagem dos 600 anos do seu nascimento. Misericórdias, autarquias e um representante do Vaticano fazem parte da comissão de honra para recordar um homem que só não foi papa porque não quis. A União das Misericórdias Portuguesas está a preparar uma homenagem pela passagem dos 600 anos do nascimento de D. Jorge da Costa, conhecido como o Cardeal de Alpedrinha. As comemorações deverão ter início em Novembro deste ano, por altura da data do seu nascimento, e só vão terminar em 2008, por ocasião da data do seu falecimento, dado que o Cardeal D. Jorge da Costa viveu 102 anos. D. Jorge da Costa nasceu em Alpedrinha, obtendo a sua formação nos Seminários da Diocese da Guarda. Depois de ter estado alguns anos em Lisboa, já como cardeal, foi desempenhar funções no Vaticano, o mesmo Estado que o viria a escolher para ser o sucessor de Pedro. D. Jorge da Costa foi eleito papa, mas recusou o lugar. Manuel Antunes Correia, recorda que D. Jorge da Costa “só não foi papa porque não quis. Por altura do Papa Júlio II, o cardeal de Alpedrinha viria a ter mais votos que todos os outros mas D. Jorge viria a renunciar o lugar”, diz o provedor da Misericórdia do Fundão, uma das entidades promotoras da homenagem. Na história da Igreja, o homem nascido em Alpedrinha poderia ter sido Papa mas preferiu dar o lugar a Júlio II. Este foi o motivo pelo qual no acto do cumprimento ao novo papa, quando o Cardeal D. Jorge da Costa ia cumprimentar o novo papa, Júlio II não deixou que o cardeal se ajoelhasse porque entendeu que aquele era o seu lugar, e que só o ocupara porque D. Jorge da Costa o tinha recusado. A União das Misericórdias Portuguesas conta com as autarquias de Lisboa e do Fundão e ainda com uma representação do Vaticano na organização. Para assinalar a data, Manuel Antunes Correia diz que será lançado um livro sobre a figura de D. Jorge da Costa, da autoria de três historiadores. Sendo o Fundão a sede do secretariado regional de Castelo Branco da União das Misericórdias, Manuel Correia, diz que as Misericórdias da região não poderiam ficar alheias às comemorações quando está em causa a figura do homem que influenciou a Rainha D. Leonor a criar as Misericórdias em Portugal. Não é por ocaso que as Misericórdias mais antigas, a seguir a Lisboa, estão no distrito de Castelo Branco, que conta actualmente com 26 Misericórdias. O programa definitivo ainda não se encontra concluído, estando neste momento a ser feitas algumas reuniões com a comissão de honra, que vai juntar personalidades do Vaticano, Lisboa, Fundão e Alpedrinha. Os bispos das Dioceses de Portalegre e de Castelo Branco, e da Diocese da Guarda integram também a comissão de honra das comemorações, que vão prolongar-se até 2008, recordando a data de 1508, altura em que faleceu o homem que ficou na história da Igreja e da região.
Fonte: "Reconquista"

6 comentários:

Nelson Brito disse...

Fernando, parabéns pelo teu belo e grandioso blog.
È a 1.ª vez que escrevo num blog sobre e/ou dedicado à Vila de Alpedrinha.
E feito o rastreio, não muito aprofundado, ao existente só dedicado a Alpedrinha, o teu trabalho e o do nosso amigo Eduardo Serra merecem uma vénia!
No entanto noto que tem pouca afluência, e sabes porquê? Não és polémico. Não vais pelo caminho mais fácil!
Mas esta minha singela mensagem é no sentido de te encorajar no teu bom trabalho na divulgação de Alpedrinha. Tu consegues ver a beleza que a nossa terrinha possui, e tentas transmitir uma imagem positiva. E o teu blog tem ainda uma vertente muito importante que é a informativa. Em termos gráficos está objectivo, o contraste das cores está bem, não é maçador.
Obrigado Fernando.

Um abraço

Nelson Brito

oasis dossonhos disse...

Caro Amigo
O teu blogue, tal como o do Eduardo Serra e o da Paula Silva preenchem um espaço de partilha das coisas positivas da vida e da vila, do património, da identidade e da memória com humildade e categoria.
Vocês são alguns dos amigos honestos e fraternos que eu conheço nessa terra. Subscrevo inteiramente o que o Nelson diz. Vocês são a Alpedrinha que eu aprendi a respeitar. Porque são solidários, trabalhadores e criativos. Sei que não desistirão do amor à vossa terra.Parabéns pela vossa postura!
Grande abraço
Luís Filipe Maçarico

Fernando Jorge Pires disse...

Caros amigos Nelson e Luis:
Quero agradecer os vossos comentários. Fico contente quando vejo que ainda há pessoas com sensibilidade para reconhecer o trabalho de outros. Pena é que haja pessoas que não o fazem. O desrespeito pelo trabalho dos outros é demais evidente por muitos que, no entanto, nunca tomaram qualquer medida no sentido de melhorar as coisas e porque não têm capacidade para tal, limitam-se a criticar quem faz e não dão alternativas.
Mas o importante é que Alpedrinha é bela, nós amamo-la tal como é. Alguns vêem-na de maneira diferente, conforme a cor (política)do filtro dos óculos que trazem à frente dos seus olhos. Fiquem com a certeza que vou continuar a divulgar Alpedrinha e a informar quem gosta dela, principalmente os alpetrinienses que moram longe.
1 abraço do tamanho dos vossos corações.

Anónimo disse...

Eu vivo em Cambrai France e vi pela primeira vez estas notícias da minha terra. Fiquei muito content porque agora sei onde saber o que se passa aí em Portugal. Muito obrigada.
Maria

oasis dossonhos disse...

"Perdoa sempre aos teus inimigos. Nada os aborrece mais" Óscar Wilde.

paula silva disse...

Em resposta ao teu comentário no meu blog:
Pois é Fernando, há muito que não posto nada... O início do ano lectivo é muito trabalhoso, muito absorvente, aliado a alguma fragilidade na saúde, não me têm deixado nem inspiração nem disponibilidade para blogar.
Mas um dia destes "arribo" e vai sair qualquer coisa...
Ao contrário, o teu Blog está cada vez melhor, cheio de imagens, de novidades técnicas, muita informação pertinente e sempre actual.
Cumprimentos também para ti e para todos os que frequentam o teu e o meu humilde espaço, e outros de igual interesse comum: Alpedrinha. (tenho visto o contador que dá uma ideia dos visitantes, no meu e no teu)